segunda-feira, 2 de novembro de 2009

ENTRE A CRUZ E A ERVA



Carla estava atrasada para outra noitada no meio da semana. Seu dia tinha sido uma loucura, telefones tocando, bolsa de valores caindo, dólar subindo e sua vida amorosa um turbilhão de beijos e despedidas. Ela queria mais. Naquela noite, estava disposta a tudo, absolutamente tudo, para conseguir um segundo encontro e ir além das promessas feitas no dia anterior, sempre regadas a cerveja e cigarro. No alto de seus vinte e nove anos, um relacionamento sério era questão de vida ou morte, estava cansada da vida de solteira, da liberdade desenfreada e falando claramente, para se ter bom sexo era preciso intimidade e isso ela não conseguiria em uma única noite. A questão: falta de sexo era urgente.
- Quem disse que mulher também não sobe pelas paredes?
Ela falava sempre e enrubescia as amigas mais tímidas. Então, naquela quarta-feira, ela abriu o armário e lá estavam eles, os vestidos provocantes, olhando para ela e convidando sua dona para usá-las, ousá-las e arrasar. Decidiu pelo pretinho de cetim, frente única, curtíssimo, bem sexy. Não deu tempo para fazer escova nos longos cabelos pretos, mas sem escolhas, optou pelo look desarrumado, bem dentro da moda e extremamente sensual. Era a própria imagem da Afrodite moderna, a deusa do sexo, da paixão, da completa realização amorosa, mas nisso a deusa grega era muito mais feliz. A maquiagem realçava os olhos negros e os cílios grandes, na boca só brilho, estava linda, seria fatal. Mas queria encontrar aquilo que estava justamente em baixa na temporada de caça: amor.
- Acho que os gregos erraram quando colocaram amor e sexo numa única deusa.
(...)
PERGUNTA DA SEMANA
Meus queridos leitores, resolvi compartilhar apenas um pedacinho do conto que é longo, para não cansar ninguém e também deixar uma curiosidade boa, que terminará com a publicação do livro. Assim que souber a data divido com vocês com muita alegria.
Então deixo umas perguntas para uma reflexão ou um worshop, se alguém quiser experimentar para responder. Vamos lá:
Sexo e amor são coisas diferentes? Como é a sensação que fica depois de fazer sexo com alguém que não amamos?
Como é a sensação de fazer sexo com alguém que nos entregamos de corpo e alma?
Será que estamos nos enganando, procurando sexo para substituir o amor ?
Quem puder responda, vamos todos aprender um pouquinho.
Beijos no coração.

Um comentário:

  1. me lig, estou no rio quero te ver...meu tel esta no seu orkut!beijos

    ResponderExcluir